terça-feira, 1 de novembro de 2011

Cristina Monteiro

Para Cristina Monteiro, desde pequena, a escrita pôde registrar e comunicar aquilo que não podia ser dito ou escutado. Foi no Sentir – Trabalho de Criação que sua escrita ganhou corpo, tendo por base a Neurolinguística e as expressões artística e corporal. Neste curso, reuniu material para um livro de poesias, hai-kais e pinturas, que ficou pronto e está à espera de ser publicado.
Mais adiante, Cristina seguiu as escolhas de ser psicóloga (pela PUC-SP) e psicopedagoga (pelo Instituto Sedes Sapientiae). Profissionalmente, destacou-se como psicóloga clínica, palestrante, instrutora e conteudista de treinamentos empresariais. E a escrita? A escrita ainda continua a ter o sentido de comunicar e registrar o “incomunicável”. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário